segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Revendo e Prometendo

Ultimas horas de 2014 e mesmo que seja involuntário acabamos fazendo um balanço de tudo que vivemos.

Foi um ano divisor na minha vida. Considero que ele tenha sido uma ponte entre tudo que já vivi e o resto da minha vida.
Termino o ano feliz com o resultado.
Me livrei de bolas de ferro que eu acreditava me prenderem no lugar... Entrei em uma depressão que eu acreditei que fosse acabar comigo... Mas quando não existia nenhum lugar abaixo de mim onde eu pudesse ir, só me restou uma opção. Sair do buraco.
E foi o que aconteceu.
Claro que tive uma ajuda grandiosa que não cabe aqui comentar, mas nada teria sido possível se eu não estivesse disposta a me permitir, de coração e mente abertos, viver de forma diferente.

Fiz novas amizades, conheci lugares dentro de mim que jamais imaginei que existissem... mas o mais importante: conheci a mim mesma e hoje não tenho medo de ser realmente quem eu sou.
Me nego a usar todos os dias a pesada armadura que eu vestia e que me cansava tanto por ter que carregá-la.
Larguei a espada e agora luto com outras armas. Meu sorriso é a mais poderosa delas.

2014 acaba e abre a porta para 365 novas oportunidades que nascem na nossa frente.
2015 é um livro com todas as folhas em branco, aguardando pra ter uma bela história escrita. E terá!


Para tanto, faço aqui as minhas promessas básicas de final de ano.

- Prometo dizer não todas as vezes que eu quiser efetivamente dizer não. Isso é um grande economizador de vida;
- Prometo nunca desistir de ir atrás de tudo que eu sonhar. Impossível é uma palavra que ainda aguarda tradução;
- Prometo não delegar a responsabilidade da minha felicidade a ninguém além de mim. Apenas eu posso ser responsável por ela;
- Se o resultado de minhas ações me desagradar, prometo não reclamar. Não posso achar ruim a bagunça feita pelo vento se eu abri a janela;
- Prometo não beber menos. Nem beber mais. Prometo beber e brindar a vida sempre que eu achar conveniente, apenas com senso de responsabilidade zelando pela minha vida e pela vida dos outros;
- Prometo não me esforçar para manter amizades que não fazem por merecer serem mantidas;
- Prometo não prometer me matricular na academia. Prometo não prometer me exercitar. Prometo não prometer me preocupar com minha alimentação e nem prometo me livrar dos quilinhos que eu julgo ter excedentes. Essas coisas precisam ser hábitos de uma vida e não promessas de um ano apenas;
- Prometo ser sincera e viver de acordo com o que realmente sou;
- Prometo amar. Amar intensamente. Com a máxima força que eu puder;
- E por fim, mas não menos importante, prometo a cada dia tomar maior consciência da brevidade da vida, e com isso valorizar cada segundo, pois ele é único e precioso e não pode ser desperdiçado.

"Quem mata o tempo não é assassino. É suicida."


Ah, olha só... a imagem não está errada não... Só foi colocada pra lembrar que o tempo passa rápido e que quando você se der conta, 2015 terá acabado...

2 comentários:

Ligia Dessimon disse...

É isso aí Manuzita! Bjss

Ligia Dessimon disse...

Comentário do Edgar - A Manu estava inspirada, mesmo, olha o horário da postagem.....ele adorou!!